notícias COVET | LISTAR TODAS

Deficiência visual não pode roubar a alegria

20/12/2016

Ela brinca, ela corre pela praia, ela é cheia de vida.
Pandora é uma Samoieda que nasceu em 2013. Ativa e esperta, Pandora hoje faz parte do grupo de cães com deficiência visual. Sua tutora, Paula Andrea, esteve ao seu lado em muitos momentos difíceis e não desistiu de lutar por sua alegria.

Essa é mais uma história que a equipe do Covet se emociona ao contar.
Pandora chegou ao Centro de Oftalmologia Veterinária de Santos em 2015. Segundo o relato de Paula, a jovem Samoieda apresentava incômodo, coceira e vermelhidão no olho direito.

Atendida pela equipe do Covet, Pandora submeteu-se a uma avaliação que indicava a suspeita de tratar-se de uveíte, devido ao quadro inflamatório ocular e baixa pressão deste olho, mas a equipe preferiu aprofundar os exames para identificar as causas. 

Já no retorno observou-se um aumento considerável da pressão do olho direito, que apresentou anteriormente pressão baixa. E o quadro de glaucoma foi claramente confirmado com os exames.

O glaucoma é doença grave que afeta o humor aquoso (líquido de dentro do olho), sendo este constantemente produzido e eliminado.

Pandora é bem jovem, mas sua raça está entre as que figuram com mais pré-disposição à má-formação no “canal” que drena o humor aquoso. Por isso, seu Glaucoma é Primário: Pode ser congênito ou o animal pode ter uma predisposição genética para a doença. 

Com o diganóstico concluído, iniciou-se o tratamento preventivo para o olho esquerdo também. Assim que a pressão intraocular do olho direito aumentou foi diagnosticada cegueira pela distenção do bulbo ocular.

As medicações usadas tinham a função de eliminar o desconforto e estabilizar Pandora, mantendo um acompanhamento estreito de ambos os olhos. Quatro meses depois, o olho esquerdo apresentou também glaucoma e o tratamento foi intensificado para controle. Pandora não mais enxergava.

"Foram muitos altos e baixos para assegurar o controle da pressão intraocular e o comprometimento da Paula foi fundamental neste processo, às vezes ministrando doses mais pesadas de medicamentos. O acompanhamento foi permanente porque nosso objetivo era o conforto da Pandora. É importante ressaltar que a doença provoca muita dor. O animal muitas vezes deixa de comer, fica retraído e precisamos romper este ciclo", explica a Dra. Samantha.

Depois de muita luta, chegou o momento em que a pressão do olho direito não estabilizava mais e a equipe optou pelo procedimento de ciclofotocoagulação, que consiste em tiros de laser no corpo ciliar, para tornar a pressão mais estável.

Glaucomas difíceis

A ciclofotocoagulação é um procedimento adotado para Glaucomas que se caracterizam por grande resistência à redução da pressão intraocular (PIO), mesmo com medicamentos fortes.

Sabendo dos possíveis contratempos e riscos, Paula optou em não fazer a remoção do bulbo ocular e seguir com o procedimento. E 10 meses depois de diagnosticada com glaucoma bilateral, Pandora passou às mãos da Dra. Angelica Safatle que fez a cirurgia com sucesso. 

Pandora não enxerga dos dois olhos, mas não sofre mais com dores e desconforto. Tem uma vida normal e feliz. Ela continua sob controle da equipe do Covet quanto à pressão de ambos os olhos.

Cães com necessidades especiais, como muitos atendidos no Covet,  ensinam a cada dia o valor do respeito, do cuidado e da importância da qualidade de vida. 



Covet © 2010 | 2019

RUA PARAIBA, 18 - POMPEIA - SANTOS | SP - TELEFONE (13) 3225-1368